segunda-feira, 16 de maio de 2011

peixes da Amazonia

Peixes da Amazônia                                                          

Peixes da Amazonia

 Acará-açu


Nome popular: Acará-açu, Apaiari/Oscar Nome científico: Astronotus spp.
Habitat: Bacias Amazônica, Araguaia-Tocantins e Prata. Foi introduzido nos açudes do Nordeste e na bacia do Rio São Francisco.
Saiba mais: Peixe de escamas. São onívoros, com forte tendência carnívora, consumindo pequenos peixes, insetos, crustáceos e frutos e sementes. Vivem principalmente em lagos de várzea e lagoas marginais. Não são migradores. Atingem a maturidade por volta de 10 a 12 meses e desovam mais de uma vez por ano, com cerca de 1.500 a 2.000 ovos por desova. Formam casais na época da reprodução e protegem a prole. Os adultos são bastante apreciados como alimento e os alevinos como peixe ornamental.
Equipamento e isca: Varas de ação leve, linhas de 8 a 12 libras; anzóis de nº 12 a 20. As iscas podem ser pedaços de peixes, minhoca, minhocuçu, miúdos de frango, insetos e iscas artificiais de superfície e meia água, como pequenos plugs e spinners.

Peixes da Amazonia

Nome popular: Apapá Nome científico: Pellona castelnaeana
Habitat: Vivem em águas amazônicas, onde preferem os rios de águas rápidas e cristalinas, onde se alimentam de insetos e pequenos peixes.
Técnicas de pesca: Podem ser pescados tanto com iscas naturais como com iscas artificiais, sendo que o equipamento a ser utilizado deve ser de ação média, composto por uma vara para linhas 10 a 20Lbs e molinete ou carretilha com capacidade para 100m de linha de 0,35mm de diâmetro. As melhores iscas naturais são pequenos peixes inteiros ou em pedaços, normalmente iscados sem chumbo, sendo que neste caso deve-se usar anzóis de tamanho médio, 2/0 a 4/0. As melhores iscas artificiais são: plugs de meia água, plugs de superfície, colheres e spinners. Como pode-se notar na ilustração, o Apapá tem a boca voltada para cima, provando que ele se alimenta de pequenos insetos e peixes que vivem na superfície da água. Por isso deve-se trabalhar as iscas bem rente à linha d` água.
Dica: Ao sentir o Apapá atacar a isca, de duas ou três fisgadas fortes para facilitar a fixação do anzol na boca dura do peixe.
Melhores épocas: Podem ser capturados durante todo o ano, sendo melhores as épocas de seca, quando os rios estão dentro da sua caixa, facilitando a localização do peixe que, nas épocas de cheia, está dentro dos igarapés, onde não se pode arremessar a isca.

Peixes da Amazonia Barbado                                                                                    

           



Nome popular: Barbado Nome científico: Pinirampus pirinampu.
Habitat: Bacias Amazônica, Araguaia-Tocantins e Prata.
Saiba mais: Peixe de couro. A espécie é comum ao longo da beira dos rios, na frente de vilas e cidades, e, por esse motivo, é importante para a pesca de subsistência. Inclui vários itens alimentares em sua dieta, mas costuma ser um piscívoro bastante voraz quando ataca peixes presos nas redes. No Rio Madeira, na Cachoeira do Teotônio, cardumes de barba-chata aparecem em novembro e dezembro.
Equipamento e isca: O equipamento é do tipo médio/pesado, montado com chumbo, para manter a isca no fundo. As linhas mais apropriadas são de 17, 20 e 25 libras e os anzóis de nº 4/0 a 8/0.
Dica: é um peixe que briga muito. Deve ser colocado no gelo logo após capturado porque estraga facilmente.

Peixes da Amazonia

Bicuda                                                                       

Nome popular: Bicuda Nome científico: Boulengerella spp.
Habitat: Bacias Amazônica e Araguaia-Tocantins.
Saiba mais: Peixe de escamas. São de mar alto e profundo, assim como de superfície e meia água, encontrados em áreas de correnteza ao longo da beira dos rios, boca de igarapés e nos lagos. Não formam grandes cardumes e não fazem migrações de desova. São extremamente piscívoros e vorazes, assim como muito esportivos, chegando a saltar fora d'água antes de se entregar. Não tem importância comercial. 
Equipamento e isca: Os equipamentos médio e médio/pesado são os mais indicados, sendo que as varas devem ser de ação rígida, já que a cartilagem da boca deste peixe é bem difícil de ser perfurada. As linhas devem ser de 14, 17 ou 20 libras, e os anzóis de nº 3/0 a 5/0. As iscas artificiais, como plugs de superfície e meia água, colheres e spinners, são as mais utilizadas na captura da bicuda, que também ataca iscas naturais, como peixes pequenos ou em pedaços.
Dica: A fricção deve estar bem regulada, porque a bicuda costuma levar muita linha quando fisgada. O anzol deve estar bem afiado, porque se o peixe não for bem fisgado pode se desvencilhar do anzol durante os saltos.

Cachara                                    



Peixes da AmazoniaNome popular: Cachara Nome científico: Pseudoplathystoma fasciatum Habitat: As Cacharas freqüentam rios, lagoas, igarapés, desde a Amazônia até o Pantanal Mato-grossense. Freqüentam os locais de águas mais lentas, próximas a camalotes (aguapés) onde espreitam suas presas e , ao mesmo tempo, tem refúgio dos seus predadores.

Técnicas de pesca: Deve-se utilizar equipamento médio/pesado, pois este peixe pode alcançar 1,20m de comprimento e pesar até 20 Kg. Deve-se utilizar uma vara para linhas de 10 a 30Lbs, a carretilha ou o molinete deve comportar 100m de linha de 0,50mm de diâmetro, sendo que na ponta da linha deve-se usar um empate ou encastoado e anzóis com tamanho variando de 6/0 a 10/0. As iscas mais utilizadas são as de pequenospeixes da região em que se está pescando, como as tuviras (morenitas), piaus, jejus, muçuns, etc.

Pode-se também pescar com iscas artificiais que trabalham bem rente ao fundo, utilizando-se o mesmo equipamento das iscas naturais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário